Mídia Day traz experiência inédita aos profissionais de mídia!

topo


As inovações tecnológicas surgem tão rápido que fica até difícil de acompanhar. De um dia para o outro, elas transformam nossas rotinas, relações e negócios de todas as áreas. E, evidentemente, a comunicação.

Diante desse mundo tecnológico que já estamos vivendo e que ainda promete muitas novas mudanças, como fica o profissional de mídia e o seu papel no mercado publicitário?

Essa foi uma das principais questões que o Mídia Day buscou responder e debater na noite de ontem (25/06) por meio de uma live especial aberta ao público, mas dedicada especialmente a esses profissionais em comemoração ao Dia do Mídia (21 de junho).

Apresentado por Sergio Aguiar, o evento virtual trouxe convidados especiais para conversar sobre o que o futuro reserva à profissão.

As tecnologias vão substituir o mídia?

Pyr Marcondes, diretor-geral da M&M Consulting, foi o primeiro a comentar a importância da área para o mercado.

Segundo ele, os mídias terão que se adaptar a esse cenário movido a dados e inteligência artificial, mas “permanecerão sendo o coração de rentabilidade das agências”.

O diretor ainda respondeu uma pergunta de quem acompanhava a live sobre a tecnologia substituir parte da profissão de mídia: “Ela vai substituir algumas das atividades, e que bom que isso vai acontecer. Porque os algoritmos e a inteligência artificial vão fazer a parte automatizada da profissão, a parte menos nobre. As marcas precisam contar histórias. Ele vai poder mostrar seu talento em uma área mais nobre, que é a criatividade na hora de distribuição dessas histórias nos canais”.

Os impactos da revolução científica na publicidade

Em seguida, o Prof. Gil Giardelli, especialista em inovação e acompanhado de sua robô humanoide Pepper, discorreu sobre a Sociedade 5.0, AI Economy, e diversos outros conceitos e tendências no que se refere à tecnologia.

Nessa nova era da superinteligência e do fisital (a união dos universos físico e digital), repleto de dados e informações, caberá à comunicação o papel de “levar as verdades para o mundo”, de acordo com o professor.

Além disso, destacou conceitos como crossmídia e crossdisciplina, reforçando que nenhum profissional poderá ficar focado em único processo. Ele acredita que a divisão entre dupla criativa, mídia, planejamento e outras áreas da publicidade não existirá mais, e que todos farão parte de um processo integrado em busca de novas ideias.

A robô Pepper auxiliou na dinâmica do Mídia Day entregando virtualmente para Sergio as perguntas que chegavam durante a transmissão.

Respondendo a uma delas do nosso vice-presidente comercial, Walter Zagari, sobre o futuro da TV em relação aos streamings, Giardelli ressaltou que, assim como a fotografia não acabou com a pintura, essas novas plataformas não acabarão com a televisão. “Esse é o desafio da humanidade: coexistir.”

A relevância do mídia no presente e futuro

A terceira parte do evento contou com a participação de Lica Bueno, presidente do Grupo de Mídia de São Paulo.

Ela relevou que a entidade está passando por um processo de “renascimento”, alinhado com esses novos tempos tecnológicos e preparado para atender a todos os profissionais de mídia.

“Não é fácil acompanhar essa evolução e esse volume, mas eu acho que esse é o momento mais desafiador e mais animador dos mídias porque a relevância do papel e desse profissional só cresce. E realmente vemos isso no cliente, nas plataformas. É um constante aprendizado”, afirmou a presidente.

Para fechar o Mídia Day, Sergio Aguiar deu a palavra a Pepper mais uma vez, que explicou que nós, humanos, somos a revolução e contar histórias é o que nos conecta.

“No final, não importa qual tecnologia, ferramenta ou dados você usar, desde que a comunicação seja de pessoas para pessoas”, finaliza a robô.